A intensificação do processo de urbanização nos municípios brasileiros produz profundas transformações no meio ambiente urbano que atingem, principalmente, os setores político-econômico, sócio-cultural e espacial.

O espaço urbano é público e toda a pessoa, independente de sua condição social, econômica e física, deve ter acesso a ele de forma igualitária. O espaço urbano deve ser projetado para que seja garantido a eficiência do ambiente urbano, e que os deslocamentos ocorram de forma segura e com conforto ambiental.

Andar a pé pela cidade é um problema quando as calçadas não apresentam as condições adequadas quanto aos critérios de acessibilidade para pedestres. É cena comum nos centros das cidades a concorrência entre pedestres, motos e carros, o uso indevido das calçadas, a ausência de rampas acessíveis, a pouca largura das calçadas, a presença de obstáculos que impossibilitem o deslocamento do pedestre.

De modo geral, as calçadas devem garantir o deslocamento das pessoas independente das suas condições físicas ou sensoriais, limitação de percepção ou mobilidade, com autonomia e segurança. Para isso, é preciso atender atributos essenciais como mobilidade urbana e acessibilidade. MOBILIDADE URBANA pode ser compreendida como a facilidade de deslocamentos de pessoas e bens dentro de um espaço urbano e, ACESSIBILIDADE como o acesso da população para realizar suas atividades e deslocamentos.

A acessibilidade em calçadas deve ser garantida através das seguintes características

Apesar da implementação da Política Nacional de Mobilidade Urbana Sustentável pelo Ministério das Cidades pouco se tem visto de avanço no planejamento das cidades e muito menos na mobilidade urbana na região de Irecê. Ao se caminhar pelos centros, o que se observa é a presença de vias e espaços públicos totalmente desprovidos de mecanismos de ACESSIBILIDADES para pessoas que apresentem alguma limitação de movimento. É com esse sentido que a elaboração de Planos Diretores municipais e a implementação da legislação urbanística na cidade é de fundamental importância para a implementação efetiva da MOBILIDADE URBANA e ACESSIBILIDADE.

É preciso, antes de mais nada, mais vontade política para colocar em prática as ações voltadas para a mobilidade urbana sustentável e com maior qualidade de vida.

 

Edição N° 08 – Revista Meio

 

Compartilhar:
Publicado em: 27 de dezembro de 2017