A aparência de um imóvel não é preocupação banal, mas traz benefícios concretos aos proprietários e à sociedade em geral. O primeiro benefício e mais óbvio é a valorização econômica do imóvel. Além disso, há um conhecido efeito na vizinhança, tal qual um efeito dominó, provocando melhoramento do seu entorno.

Infelizmente o contrário também ocorre, quando um imóvel danificado acaba por desencadear uma série de malefícios e estimular a depredação completa. Esse fenômeno foi inclusive estudado e sintetizado na Teoria das Janelas Quebradas. Em resumo, essa teoria afirma que um dano, ainda que pequeno, estimula a criminalidade, usando como exemplo clássico um veículo estacionado com a janela quebrada.

Analisando o comércio especificamente, a aparência do imóvel possui importância ainda maior, pois o estímulo às compras é o seu principal objetivo e para isso é necessário atrair os consumidores. Essa atração, tal qual uma conquista, envolve fundamentalmente uma boa aparência.

Tecnicamente falando, a adequação ou criação de uma fachada não é tão banal ou simples de realizar, pois envolve aspectos de construção civil, decoração, iluminação e respeito à legislação. Portanto, esse trabalho deve estar a cargo de um profissional qualificado, sob o risco de realizar apenas um gasto mal empregado.

O profissional que realizará o projeto, deverá ainda se preocupar com outras inúmeras questões, desde a correta aparência da marca, harmonização com a vizinhança, manutenção, escolha adequada dos materiais de revestimento, acessibilidade da calçada, dentre outras.

Com uma fachada bela e adequada ganha o empresário e a cidade, além de se tornar sua publicidade permanente.

Edição N° 15 Revista Meio

Compartilhar:
Publicado em: 27 de dezembro de 2017