Apesar de vivermos em uma região do semiárido, com baixo índice pluviométrico, observamos uma quantidade imensa de casas com problemas de infiltrações. Esses problemas decorrem de diversos fatores, todos eles decorrentes de uma má execução das obras e/ou falta de projeto de impermeabilização.

Tomando emprestado um termo comum na medicina, chamamos o estudo dos defeitos da construção civil de patologia da construção civil. Esses defeitos são verdadeiras doenças que atingem os imóveis. E ainda comparando com as doenças do nosso corpo, evitar esses problemas também custa bem menos e revela-se muito mais eficiente do que combater o problema já detectado.

A causa de infiltração mais comum na região é a umidade por capilaridade, ou seja, a ascensão da água do solo nas paredes de uma edificação através da tensão superficial. Isso ocorre por conta da existência de espaços vazios entre os materiais da construção civil, o que permite que a água do solo com seus sais minerais se desloque da fundação até a parede. E com a evaporação da água, ocorre ainda a cristalização dos sais, tornando a parede permeável.

Observamos ainda como causa de infiltração, defeitos nas instalações hidráulicas, seja em razão da má execução da obra, por utilização de material inadequado ou problemas nas junções das tubulações.

Se o problema já existe no imóvel, torna-se mais caro a sua solução. Primeiro passo será identificar a causa da infiltração. Em seguida, drenar a água e impedindo-a que retorne, impermeabilizando o local. Mas, cada tipo exigirá uma solução específica. E a depender da gravidade, necessitará de profissionais da construção civil igualmente específicos, tais como: pedreiros, pintores, encanadores, mestre de obra, engenheiro civil ou arquiteto.

No próximo artigo, trataremos das soluções mais adequadas para cada tipo de problema citado.

Edição N° 09 – Revista Meio

Compartilhar:
Publicado em: 27 de dezembro de 2017